Os elementos da natureza

A Umbanda, religião ligada aos Orixás e a natureza, tem como fundamentos a utilização de elementos da natureza, que são “regidos” pelos Orixás. Os elementos são : AR, ÁGUA, TERRA, FOGO E ESPÍRITO. Estes elementos podem estar reunidos ou não em diversos rituais umbandistas, no intuito de manipulação de energias.

Em todo Universo, temos o Prana ou Éter Vital, que é energia essencial para a manutenção da vida em vários níveis energéticos. O Prana é absorvido pelos elementos da natureza e por nós direta ou indiretamente. A respiração, o “banho” de sol, a alimentação adequada, são alguns dos meios desta absorção energética.

Nos rituais da Umbanda, podemos manipular, então os elementos da natureza e o Prana, através de vários rituais. Alguns exemplos :

A vela votiva – Temos os elementos Fogo, Ar, Água e Terra. O Fogo consome o Ar e a resina da vela (Terra) e transforma a Água, contida na resina da vela, em vapor. Isto apenas falando materialmente deste ritual, sem contar o aspecto religioso e mágico.

Dentro da magia universal, as velas foram sempre utilizadas na maior parte dos rituais em que se precisa realizar algum contato com forças superiores ou inferiores. Isto, claro, dependendo do moral de quem vai se utilizar das forças mágicas, já que magia não pode ser distinta, de forma específica em branca ou negra (ou como queiram os puristas: Teurgia e Goecia), pois estes aspectos são facetas interiores daquele que pretende mobilizar certas forcas cósmicas.

Nos terreiros, há sempre alguma vela acesa. A função da vela, que já foi definida como o mais simples dos rituais, é, no seu sentido básico, o de simplesmente repetir uma mensagem, um pedido. A pessoa se concentra (passo fundamental no ritual de acender velas. O pensamento mal direcionado, confuso ou disperso pode canalizar coisas não muito positivas ou simplesmente não funcionar. Diz um provérbio chinês : “cuidado com o que pede, pois poderá ser atendido no que deseja” e a função da chama é o de repetir, por reflexo, no astral, a vontade e o pedido do interessado.    Existem diversos fatores dentro da magia no tocante ao número de velas a serem acesas e outros detalhes, que dizem respeito apenas aos iniciados e mestres, não cabendo a nós, por profundo desconhecimento, apresentá-los aqui. Os verdadeiros médiuns podem, se quiserem, ou melhor ainda, se merecerem, aprender tudo sobre que suas Entidades acharem por bem transmitir-lhes.

Maria Cristina Marques – Dirigente Espiritual do CROHR – Círculo Religioso Ogum, Hórus & Rá

Visit Us On FacebookVisit Us On Google PlusVisit Us On Youtube